Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Colegiados

Publicado: Quarta, 10 de Junho de 2020, 12h22 | Última atualização em Sexta, 30 de Julho de 2021, 14h16 | Acessos: 147

Colegiado Indígena

 

O colegiado indígena do Programa de Pós Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Amazonas - PPGAS/UFAM tem como finalidade a representação de todos acadêmicos indígenas do curso, seja do mestrado ou do doutorado, perante as instituições da Universidade, levando as demandas dos alunos, suas preocupações em relação às políticas afirmativas, o auxílio mútuo entre os mesmos, ou seja, todos os interesses conjuntos dos estudantes indígenas.

Também inclui realizar reuniões, debates sobre a presença indígena nos Programas de Pós Graduação, envolvendo diversos temas, políticas públicas específicas para indígenas, discutir uma grade curricular ou cursos adequados para atender os interesses e as especificidades dos alunos indígenas, verificar as dificuldades de indígenas, quando apresentados pelos alunos, e levar para o restante do colegiado, como por exemplo, os alunos que tem dificuldades com língua portuguesa quando falantes da língua do seu povo, promover em conjunto com o restante dos alunos eventos, auxiliar novos alunos dentro do Programa,  e principalmente promover debates sobre como a formação antropológica pode contribuir com as demandas sociais dos povos indígenas do Brasil. 

 

Representante: Jaime Diakara (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

 

Colegiado Negro

 

O colegiado Negro do PPGAS foi criado em 2017 pelos discentes: Cristiane Eveng; Glacy Ane; Larissa Albuquerque e Tharcísio Santiago, com a intenção de trazer questões da negritude para o programa através dos trabalhos em desenvolvimento a época. Tais questões foram ganhando relevância e ampliando a gama de pesquisadores com temáticas étnico-raciais e da juventude negra no âmbito amazônico. Manaus tem hoje o segundo maior quilombo urbano do Brasil, o quilombo Barraco de São Benedito no bairro da praça 14 de janeiro. 

Até o momento, o colegiado negro já realizou dois eventos públicos, o primeiro em 2018 com o tema " quem disse que não há negros e quilombolas no Amazonas, não sabe o que é axé e dendê". E o segundo em 2019 em parceria com o observatório do direito socioambiental e direitos humanos na Amazônia intitulado " conversa de pretas e pretos e povos de terreiro: religiosidades, territórios tradicionais e resistência".  

No momento continuamos atuando por meio de nossas pesquisas politicamente engajadas e socialmente co-responsáveis com a negritude. Dessa forma seguimos em constantes construções e desconstruções na luta por representatividade. Resistimos!

 
 
Representante: Silvia Pacheco (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)
 

 

Colegiado LGBTQIA+

 

Representante: Paulo Trindade (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

  
 
registrado em: ,
Fim do conteúdo da página